Área de TI: real vocação ou “simples” ambição?