A sofisticação dos ataques cibernéticos: parece ficção, mas não é